Uruguai empata com a Bolívia na altura de La Paz pelas Eliminatórias Sul-americanas

Na 10ª rodada das Eliminatórias Sul-americanas da Copa de 2010, o Uruguai se esforçou para arrancar um 2 a 2 da Bolívia no Estádio Hernando Siles, em um jogo com final emocionante.

Foi um jogo muito difícil para os uruguaios, que tiveram que lutar contra os rivais e contra o cansaço causado pela altura e a falta de oxigênio, em um esporte tão exigente. A seleção boliviana começou melhor o jogo, tendo a posse de bola, mas sem inquietar a defesa celeste, com apenas dois ou três cruzamentos infrutíferos.

Eliminatórias da Copa do Mundo África do Sul 2010

O Uruguai chegou com mais perigo aos 12 minutos, em uma jogada que Carlos Bueno dominou um passe longo na pequena área sozinho, mas em vez de chutar errou querendo passar a bola e a defesa boliviana tirou.

A Bolívia foi mais efetiva; aos 14 minutos Lugano cabeceou a bola pra fora da área, Martins pegou na meia-lua, virou e chutou curzado, o goleiro Castillo se jogou mas pôde alcançar bola que entrou colada à trave direita. A defesa uruguaia falhou nessa jogada, dando todo o tempo do mundo para o rival dominar, virar e chutar, sem ser pressionado.

Fora isso, a Bolívia continuou sem inquietar o Uruguai, que não retía a bola, fazendo passes apressados (e equivocados), devolvendo a bola ao rival rapidamente. O Uruguai desaproveitava as chances no ataque errando muitos passes, contra a má defesa boliviana, que cobria mal os espaços.

O jogo continuou um tanto lento, com alguns chutes de longe da Bolívia que passaram longe do gol de Castillo. Até o minuto 30, quando o “cebolla” Rodríguez pegou a bola no meio-campo, deixou os bolivianos para trás usando todo o seu fôlego e sua velocidade, invadiu a área pela direita e chutou, seguindo uma boa resposta de Arias espalmando para escanteio. A seleção visitante tinha maior posse de bola, mas não a aproveitava, apelando aos passes longos que exigem correr muito ou dividir a bola, fazendo um maior desgaste físico, grave erro na altura.

A seleção local continuou com 100% de efetividade, e em sua segunda chegada marcou o segundo gol. Foi aos 41 minutos, em uma nova falha da defesa uruguaia, quando Lugano e Scotti deixaram Martins definir livre na entrada da pequena área, de cabeça, após o cruzamento da direita de Ronald García. O primeiro tempo terminou com o 2 a 0.

Segundo tempo

O Uruguai voltou pro segundo tempo decidido diminuir a diferença no placar. A Bolívia, que apesar dos dois gols não jogou bem no primeiro tempo, quis segurar o resultado fazendo tempo. Ainda assim, o Uruguai continuou errando passes, perdendo a bola rapidamente, e a Bolívia teve algumas chances isoladas para ampliar o marcador. Aos 6 minutos Reyes chutou de fora da área, Castillo deu rebote, Botero chegava pra definir mas o goleiro uruguaio levou a melhor na dividida. Aos 8 minutos, Martins recebeu passe no meio da área e chutou, mas Castillo saiu bem fechando os espaços e defendendo.

Com o passar dos minutos a seleção charrúa foi se achando no jogo, parou de errar passes e passou a tocar com inteligência e procurar os espaços para entrar na área boliviana. Deu resultados, e o Uruguai logo achou seu primeiro gol. No lance, Bruno Silva cruzou da direita e Carlos Bueno definiu de cabeça entre dois rivais na entrada da pequena área, marcando o 2 a 1 aos18 minutos. Três minutos depois Lugano quase empatou de cabeça, após cruzamento de Bruno Silva.

O Uruguai estava melhor no jogo mas quase levou o terceiro aos 24 minutos. Foi um erro de Castillo, que entregou a bola para Botero na saída, este invadiu a área e chutou, mas o goleiro uruguaio consertou seu erro fechando o gol. Abreu entrou e na primeira jogada teve um chance de cabeça, após o cruzamento de Vicente Sánchez, mas não pôde definir bem e a bola passou longe do gol de Arias. Aos 35 minutos Pereira, que também entrou no segundo tempo no Uruguai, chutou da entrada da área e a bola bateu na rede em cima do gol.

Reyes chutou mais uma vez de fora da área, aos 38′, mandando a bola perto do travessão de Castillo. O Uruguai partiu pro ataque enquanto a Bolívia enrolava tentando segurar o resultado. Aos 43 minutos chegou o empate, em um novo cruzamento de Vicente Sánchez e uma cabeceada de Abreu que entrou com tudo na pequena área mandando a bola pro fundo da rede.

Os minutos finais foram emocionantes, com as duas equipes procurando a vitória. Aos 45 minutos, Castillo deu rebote, a defesa uruguaia não pôde, Botero tentou mas não pegou bem na bola, até que Lugano chegou pra acabar com a confusão chutando a bola pra longe. Um minuto depois veio a resposta; na luta dos uruguaios com a defesa boliviana, a bola sobrou para Abreu que invadiu a área sozinho, mas esperou muito e acabou chutando em cima de Arias que saiu bem fechando os espaços. A Bolívia teve a última do jogo aos 47 minutos, com outra bola muito disputada na área charrúa e Cáceres salvando incrivelmente com a perna direita após o chute do rival.

Escalações

Uruguai:
Juan Castillo, Bruno Silva, Diego Lugano, Andrés Scotti, Martín Cáceres
Alvaro González (Pereira), Walter Gargano, Diego Arismendi, Cristian Rodríguez (Abreu)
Vicente Sánchez, Carlos Bueno.
Técnico: Oscar Washington Tabárez

Bolívia:
Carlos Arias, Christian Vargas, Ronald Rivero, Ronald Raldes, Abdón Reyes
Walter Flores, Ronald García, Joselito Vaca (Torrico), Jaime Robles
Joaquín Botero (Pablo Escobar), Marcelo Martins Moreno.
Técnico: Erwin ‘Platini’ Sánchez.

Árbitro: Héctor Baldassi (Arg)
Auxiliares: Ricardo Casas (Arg), Francisco Rocchio (Arg)

O Uruguai chegou aos treze pontos, ganhando a quarta posição do Chile por ter melhor saldo de gols. A Bolívia continua na sétima posição, mas poderia ser superada pelo Peru ou pela Venezuela que estão logo abaixo dela e jogam amanhã.

Confira a tabela das Eliminatórias Sul-americanas da Copa de 2010.


Technorati : , , , , , , ,

Leave a Reply