Seleção Argentina de Futebol

História geral

A era amadora da seleção argentina começa em 1916, quando a alvi-celeste disputou a primeira Copa América, e conquistou o primeiro de tantos vice-campeonatos. Nos próximos 62 anos, os argentinos se dedicaram a jogar Copas América que eram disputadas em três partidas, a fazer fiasco nas Copas do Mundo que participavam, a se retirar pateticamente de algumas delas, e a não classificar para outras.

A era semi-profissonal da seleção argentina começou em 1978, quando ganharam o título da Copa do Mundo sediada por eles. O grande herói daquela conquista foi Jorge Rafael Videla, que abriu a defesa peruana no terceiro jogo da fase de grupos, evitando a eliminação da alvi-celeste.

Os argentinos esperam algum dia ter um futebol profissional.

Jogadores mais famosos

Diego Armando Maradona

Diego Maradona com Caniggia, seu primeiro amor

Maradona começou sua carreira num clubinho chamado Argentinos Junior. O Argentinos não tinha estádio; os jogadores treinavam em um terreno baldio. No entanto, a má condição do “campo” onde treinava foi o que levou Maradona a adquirir técnica, pois ele tinha que levar a bola esquivando todos os buracos do campo.

Logo foi levado ao Bosta Juniors, onde conheceu seu primeiro amor: Claudio Caniggia.

Não demorou muito para ser convocado para jogar na seleção argentina, que precisava urgente de qualquer um que soubesse ao menos as regras do jogo.

Conforme o previsto, a seleção argentina de Maradona fez fiasco na Copa do Mundo de ’82, na Espanha, ficando eliminados após a derrota de 3 x 1 contra o Brasil. Na Copa do Mundo México ’86, Maradona se destacou na partida de vôlei das quartas-de-final contra a Inglaterra, marcando o ponto decisivo do jogo, com um toque sutil por cima do bloqueio inglês.

Na Copa do ’90, a Argentina de Maradona conquistou um glorioso vice-campeonato, perdendo a final para a Alemanha. Apesar do excelente resultado, Maradona preciva de dinheiro, então decidiu começar seu próprio negócio, com eletrodomésticos.

Maradona - aspira sem parar

No entanto, Maradona foi expulso do Nápoli, onde jogava, que não gostou desse negócio de ficar aspirando pó. Diego também teve problemas na Copa de ’94; ele tentou aspirar a linha de fundo do adversário e foi suspenso um ano do futebol. Deixou a seleção argentina na mão, e ela logo foi eliminada da Copa.

Sem seu salario de jogador, Maradona teve que expandir seu negócio pessoal, aspirando pó venezuelano, colombiano, boliviano, além de todo o que entrava na Argentina. Porém, o negócio gastava mais dinheiro do que gerava, além de ser muito prejudicial à sua já defeituosa imagem. Os problemas não paravam de aumentar. Maradona tentou entrar no mundo da ópera, mas logo percebeu que não basta só parecer um cantor de ópera.

Diego Armando Pavarotti

Quando terminou o ano de suspensão, Maradona não pôde voltar a jogar, pois um time só pode entrar com onze jogadores em campo, e ele tinha o tamanho de quatro. Desanimado, procurou emprego no parque aquático Mundo Marino, de Buenos Aires, mas teve pouco sucesso.

Diego Maradona Show do Maradona no Mundo Marino

Em crise existencial, procurou gente como ele. Assim conheceu Hugo Chávez e Evo Morales, também ignorantes com excesso de peso e fama internacional ganha pela quantidade de kagadas que fizeram, mas que ainda assim são amados por um povo interio, que é mais ignorante do que eles. Jogou bola com os dois, de igual a igual, de gordo a gordo.

Contudo, continuava insatisfeito, até que encontrou Fidel Castro. Fidel ficou emocionado ao ver sua cara entalhada na perna de pau de Maradona, que era seu fã. Prometeu botar Diego na linha, e ensinar-lhe tudo o que sabia.

Diego Maradona, Hugo Chávez e Evo Morales Maradona beija a mão de seu amo Fidel Castro

Quando voltou para a Argentina, Maradona deu um golpe de Estádio no Bosta Juniors, tirando o Presidente Maurício Macri do poder, se instalando como o novo Comandante da instituição. Depois, declarou o Estádio do Bosta Júniors (e seu estacionamento) independente da Repulsa Argentina, e assim nasceu a República Comunista do Bosta Júniors.

Comandante Maradona na BomboneraComandante Maradona na Bombonera

O Comandante Maradona tem uma nação próspera, cujas principais atividades econômicas são a exportação de jogadores de futebol e uniformes do Bosta Juniors, os clássicos contra o River Plate, e a importação de Habanos e pó de diversos lugares, para seu negócio pessoal.

No entando, com já não fazia parte da Argentina, Maradona não pôde voltar a jogar na seleção alvi-celeste. Sem ele pra trapacear e salvar a equipe, os outros argentinos tiveram que se esforçar e aprender as mesmas artimanhas para escapar do vexame.

Juán Román Riquelme

Riquelme é um jogador humilde que sempre achou que era o melhor do mundo. Nunca suportou sujeitos convencidos, e desde pequeno teve nojo do presunçoso povo argentino. Durante anos, fez um grande esforço para poder aguentar seus hermanos, enquanto juntava dinheiro para escapar do país, jogando no Bosta Juniors.

Cada dia foi um suplício, até que pôde fugir para a Espanha, onde implorou para não ser deportado quando o descobriram. Vendo o desespero do sujeito, o Governo Espanhol o pôs a trabalhar num submarino amarelo, sabendo que eventualmente serviria como carne de canhão torpedo.

Quando o submarino afundou, jogaram a culpa nele, e o mandaram de volta para a Argentina. Algumas fontes afirmam que Riquelme tentou se suicidar, se jogando da borda da barcaça de lixo na qual o trouxeram, mas lembrou que não sabia nadar e que poderia morrer, então, se conformou com o retorno.

Já no seu país, foi obrigado a jogar na seleção argentina de futebol, para pagar sua dívida com a sociedade. Contudo, lhe prometeram que, ajudando a equipe a obter bons resultados, deixariam ele livre para morar onde quisesse. Com tal motivação, se tornou uma das grandes revelações saídas do armario da Argentina, dando corpo e alma para salvar a alvi-celeste.

A entrega de Riquelme pela equipe

Riquelme tem a incrível marca de perder três finais contra a seleção brasileira: a da Copa América de 2004, a da Copa das Confederações de 2005, e a da Copa América de 2007.

Riquelme desolado após Brasil 3 x 0 Argentina na Copa América

Por essas fantásticas atuações, ganhou a alcunha de Vicequelme quando voltou a jogar no Bosta Juniors.

Camisa do Boca do Riquelme

Ele obviamente continua na Argentina, pois os bons resultados da seleção ainda não chegaram.

Carlos Alberto Tévez

Desde pequenino, Carlos Tévez queria ser cantor, e apesar de sua total falta de talento musical, fazia sucesso entre os soldados bêbados, do bairro Ejército de los Andes, onde nasceu.

Carlos Tévez cantor

Ele vivia preso no Fuerte Apache (Forte Apache), como também era chamado o lugar. Sua adolescência foi problemática, pois ele queria cantar cumbia villera, música típica das favelas argentinas (ou villas), mas no Forte apenas o deixavam cantar as tradicionais canções do exército.

A privação de liberdade e de realizar seu sonho fez Tévez enlouquecer. Um dia ela saiu correndo pelos corredores, pelado, cantando cumbia villera a todo pulmão. Passou uns dias na solitária, por desacato à autoridade, e depois recebeu o pior castigo imaginável: foi obrigado a jogar na seleção argentina de futebol.

Tevez na Seleção Argentina

Porém, não acabou por aí a sentença de Tévez, que logo foi rebaixado a jogador do Corinthinas. E pior, teve que conhecer o presidente Lula.

Tévez jogando no Corinthians Tévez com o Presidente Lula

O Governo Argentino deu por cumprida a dívida de Tévez com as Forças Armadas, e até ajudaram ele a ir jogar no Manchester United, da Inglaterra. No entanto, como durante toda a vida ele foi cuidado pelo exército, mesmo tendo 22 anos, sua mentalidade é de uma criança que ainda não conseguiu largar a chupeta, e depende muito de seus companheiros de equipe.

Tevez no Manchester United

Por momentos, Tévez mostrou bom futebol, e despertou o carinho em muitos argentinos. Principalmente em Diego Maradona, que se paixonou pela forma alocada de viver de Carlos, e acabaram tendo um romance. Foi o segundo amor da vida de Maradona, o primeiro de Carlitos (como é chamado por Diego).

Diego Maradona e Carlos Tévez

Um fato curioso da vida de Tévez, é que muitas pessoas alegam que ele tem uma irmã perdida. Eles teriam sido separados no nascimento, no Forte Apache, pelas cruéis Forças Armadas argentinas.

Carlos Tévez e sua irmã perdida

Lionel Messi

Cansados de perder para o Brasil, e sem craque desde Maradona (que fumou todo o da argentina), a AFA (Associação de Facínoras Argentinos) fez um voodoo com uma camisa da seleção argentina, 10 gramas de pó cheirado e espirrado por Maradona, enquanto assistiam um vídeo do jogo Argentina x Inglaterra da Copa de ’86. Meses depois, nasceu Lionel Messi.

Quando pequeno, Messi era pequeno, pois a camisa usada no voodoo era uma infantil tamanho 8, e ele nasceu com um problema hormonal, a Síndrome de Pulga, que atrasa o crecimento. Daí ganhou o apelido de “la pulga”. Seus pais procuraram ajuda financeira nos clubes argentinos para o tratamento da doença, que obviamente mandaram eles catar coquinho na esquina.

Lionel foi levado pelo Barcelona para a Espanha, onde seria tratado, e teria a chance de jogar em um dos maiores clubes do mundo. Hoje é um jogador moderadamente habilidoso, o menos-pior argentino da atualidade, tudo pela sorte de nunca ter jogado na Argentina, não sendo influenciado por loser manos.

Foi logo convocado para jogar na seleção maior da Argentina, e teve o prazer de perder para o Brasil na final da Copa das Confederações 2005, e Copa América 2007.

Messi mostrando toda sua técnica

Messi é muito comparado à Maradona pelo estilo de jogo, pois consegue imitar perfeitamente as trapaças do ex-camisa 10.

Gol do Messi com a mão contra o Espanyol

Os títulos mais importantes da carreira de Messi foram os que o Ronaldinho Gaúcho ganhou para o Barcelona, quando o brasileiro ainda jogava no clube espanhol.

Roberto Carlos Abbondanzieri

Abbondanzieri começou sua carreira no clube argentino Bosta Juniors, mas não como jogador; um dia ele foi visto chorando lágrimas de sangue, e se tornou o padroeiro do clube. Segundo os torcedores, Abbondanzieri concedeu algumas vitórias milagrosas ao Boca, após as súplicas dos sofredores.

Roberto Abbondanzieri chorando sangue

Contudo, Abbondanzieri logo perdeu seus dons. Como ele já estava por lá mesmo, pegaram ele pra jogar, e como não era muito bom, foi pro gol. Como arqueiro, começou a fazer uma kagada atrás da outra, e ganhou a alcunha de “pato” (por razões óbvias).

Usado no esquema de lavagem de dinheiro, o pato Abondanzieri foi tranferido para jogar na Espanha. Agora ele tinha que esforçar muito, pois teria pela frente adversários como Real Madrid e Barcelona. O argentino teve que usar toda sua técnica e experiência para manter seu gol a salvo.

Roberto Carlos Abbondanzieri

Um dos jogos mais importantes da vida de Abbondanzieri foi contra o FC Barcelona, defendendo a camisa do Getafe. Mesmo sendo derrotado, o pato se tornou amigo íntimo do italiano Gianluca Zambrotta, lateral direito do Barça.

Abbondanzieri arranca as três bolas de Zambrotta

O clímax da carreira do arqueiro foram os jogos que disputou contra o Brasil. Recentemente entrou para o Guinness Book (Livro dos Recordes), com o recorde mundial de gols levados pela verde-amarela, sendo 9 nas últimas duas finais de Copa América, 4 na Copa das Confederações de 2005, três em um amistoso disputado em Londres, e mais.

Abbondanzieri no jogo Brasil x Argentina

Nestes momentos ele se recupera de uma lesão, que sofreu no jogo Argentina x Peru, em Buenos Aires, quando quis desafiar Gabriel Heinze a uma luta de taekwondo.

Iván Gabriel Heinze

Em sua adolescência, Gabriel Heinze era um promessa do taekwondo argentino. Os especialistas do esporte previam títulos mundias para o jovem, e muitas medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de Verão para a Argentina.

Mas, como argentino que é, se irritou com uma derrota, em sua primeira competição internacional, e agrediu o juíz, que marcou o ponto decisivo para o adversário. Heinze foi expulso da Associação Argentina de Taekwondo, teve que pagar uma multa de 10.000 unidades de dinheiros argentinos, e foi obrigado a fazer mil horas de serviço comunitário na Seleção Argentina de Futebol, o trabalho mais humilhante que acharam.

Gabriel Heinze em Argentina x México

Por sua grande força bruta física, e escassa massa cinzenta, foi colocado na defesa, pra meter medo na ofensiva do rival (objetivo amplamente alcançado). Seu número é o 6, pela quantidade de ossos de adversários que quebrou.

Joga na lateral esquerda, porque é mais preciso e chuta mais forte com a perna esquerda (vide fotos). Além disso, perdeu sua perna direita na Guerra das Malvinas, e foi substituida por uma de pau (se bem que, na prática, todo argentino tem, no mínimo, uma perna de pau).

Iván Gabriel Heinze

Pela sua condição de lutador de taekwondo, e seu passado conflitivo, os árbitros deixam ele dar patadas em todo mundo. Rara vez vê um cartão amarelo, muito menos um vermelho.

Quando adolescente, Heinze assistiu todos os filmes da série “Karatê Kid”. Se identificou muito com Daniel San, que também tinha uma perna inutilizada quando deu o Golpe da Garça. Heinze sonhava com aplicá-lo em um dos arqui-rivais dos argentinos. Anos depois, em uma Copa América, ele pôde finalmente realizar esse sonho, mostrando que havia aprendido bem a técnica.

Heinze dando o Golpe da Garça no jogo Brasil x Argentina Heinze dando o Golpe da Garça no jogo Brasil x Argentina

Uma das competições mais importantes de sua vida foi a Copa do Mundo de Taekwondo Alemanha 2006. Suas já famosas técnicas para marcar os adversários mais perigosos foram vitais para a Argentina, tanto no jogo contra Costa do Marfim quanto na partida contra a Alemanha.

Heinze no jogo Argentina x Holanda na Copa do Mundo Alemanha 2006 Heinze no jogo Argentina x Alemanha na Copa do Mundo de 2006

Ele foi vital no resultado do jogo Argentina x Peru, há poucos dias, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010, marcando o primeiro gol da partida.

Heinze fazendo um golaço de cabeça

Heinze ainda tem 600 horas de trabalho comunitário na carente seleção argentina. Ele quer terminar o antes possível, pra poder encher todo mundo de porrada a qualquer hora, e não somente em jogos de futebol.

O Técnico – Alfio Basile

O atual técnico da seleção argentina de futebol é Alfio Basile, ou el Cocô Basile, como é chamado por seus conterrâneos. Ganhou alguns gloriosos vice-campeonatos dirigindo o Racing Cu de Avellaneda, o Bosta Junior e a Seleção Argentinha.

Alfio Basile - Técnico da Seleção Argentina de Futebol

Ele foi o competente técnico que guiou a alvi-celeste nas Eliminatórias Sul-americanas para a Copa do Mundo de 1994, desde a gloriosa derrota de 5 a 0 para a Colômbia, no Estádio Monumental de Nuñez, até a magnífica classificação para jogar a repesca contra a Austrália, e a posterior eliminação na Copa.

Melhores momentos da Seleção Argentina de Futebol

Argentina mostrando a raçaD'Alessandro - No llores por mi Argentina

Mascherano e Tévez

Argentina conquista outro glorioso vice-campeonato

Brasil phodendo a Argentina

Adriano em Brasil x Argentina

Riquelme na derrota da Argentina

Brasil 3 x 0 Argentina - Copa América 2007

Final da Copa América Venezuela 2007 - Brasil 3 x 0 Argentina

Atenção! Os fatos apresentados neste post são de uma fonte pouco confiavel: a Argentina. Se você levar o texto a sério, a culpa é sua.


Technorati : , , , , , ,

15 Comentários em “Seleção Argentina de Futebol”

  1. Sr.Alex Alvarez:
    A 1a pergunta: qual a sua nacionalidade.
    Se for brasileiro (acho que deve ser)a pergunta é: de onde vc tem tanta inveja do Futebol Argentino. Será que até hoje vc não sabe que o futebol argentino sempre foi e sempre será o melhor futebol do mundo. E veja bem, eu sou brasileiro, mas acompanho o futebol com imparcialidade. O fato do Brasil ganhar 5 copas do mundo, eu te provo, que nunca foi o melhor do mundo. Para eu te provar (matematicamente falando) é outra conversa.

  2. Sr. Anônimo.
    Sou brasileiro, e me dá muita pena que um compatriota seja tão curto de mente ao ponto de reduzir um texto humorístico à “inveja”. O objetivo aqui é zoar o rival, uma das partes mais legais do futebol e, acima de tudo, saudável, ao contrário da violência que algumas pessoas adoram praticar.

    No outro texto, que talvez você tenha visto, falo mais seriamente sobre as conquistas mundiais da Argentina, expondo fatos que, como tais, não podem ser negados. Se você tiver algum argumento válido, algo diferente de “é inveja”, fique à vontade para comentar.

    Espero que algum dia você, e muita gente, entenda que rivalidade não significa inveja, ou todos nós seriamos uns invejosos do arqui-rival do nosso time do coração.

  3. O tal do anônimo é um imbecil, hein? Achar que o futebol argentino é o melhor do mundo só demonstra a tremenda ignorância do infeliz.

  4. Também sou brasileiro e também acho – como muitos profissionais do ramo – o futebol argentino superior ao brasileiro. E tive várias oportunidades de verificar lá mesmo, onde, por sinal, fui muito bem recebido e tratado com o maior respeito. E, mesmo que não achasse, me parece constrangedor ler um “artigo” tão infantil, preconceituoso e de baixo nível. Eu concordo que a tiração de sarro é uma das partes legais do futebol, mas aqui é outra coisa, é uma agressão raivosa e preconceituosa que, claro, só pode ser interpretada como invejosa.
    Amo o meu país, mas isso não me faz agredir os meus vizinhos que, por sinal, nos respeitam muito mais do que os brasileiros pensam.

  5. Só pode ser interpretada como inveja por alguém curto de mente. É tiração de sarro, e não escrevi com raiva.

    Eu acho engraçado que quem vai na Argentina sai dizendo que argentino é mais educado e mais culto que o brasileiro, que nos respeitam mais, e outras bajulações. Quero ver você perto do estádio quando tem jogo entre Brasil e Argentina, ou entre clubes dos dois países. Aí você vai ver como aquele povo é realmente.

    1. De fato, os argentinos são bastante mais cultos e educados que nós. Mas nós somos melhores no futebol! Disso não há duvida!

  6. Aaaah esse “anônimo” ae tá loooko,sóh pode tah tomando água argentina mesmo….kkk Brasil tem o REI DE FUTEBOL e é o MELHOR DO MUNDO sim!!!O resto é resto e vem pro Brasil aprender jogar…

  7. Alex Alvarez, você mandou bem em ter zuado a seleção da Argentina. Sou brasileiro,NUNCA eles terão um futebol melhor que o brasileiro, nem em sonho. Dia 5 de Setembro, eles vão jogar o contra o Brasil, lá na Argentina, e vão perder.
    A seleção Argentina é ruim mesmo…!
    Se quiser trocar ideias sobre a seleção Argentina, escreva pra mim.. jean_silva2007@hotmail.com

  8. Afzz quanta besteira desse povinho achar o futebol argentino melhor que o brasileiro rsrs se fosse mesmo os argentinos nao perderiam duas finais consecutivas de copa america pro Brasil sendo que o Brasil tava com a seleçao b nas duas vzes e tbm é so olhar no geral o Brasil tem mais vitorias nos confrontos entre eles

  9. Hã..? Quem é a seleção Argentina? Nada. É besteira comparar o futebol da Argentina com o futebol do Brasil. Nas duas últimas finais de Copa América, a Argentina perdeu para o time B do Brasil. Tá pegando mó rabo para ficar no G4 das Eliminatórias. Com esse futebol que eles tem, nem a repescagem, eles conseguirão alcançar…

  10. Cara vem dizer que por o Brasil ter 5 copas não quer dizer nada de futebol , se é a Fifa que oganiza a competição e ser campeão do mundo não prova que o time é bom em Futebol , então o cara deve ser loko , e + depois que implantarão anti dopem no futebol Argentina não ganho mais nada , pq não pode jogar chapado.Caras levaram 5 da Bolivia e agora 3 do Brasil e vão levar uns 4 do Paraguai ai bye bye hermanos e vamos ver quem é o melhor Futebol na copa do mundo.

  11. francamente !!!
    nunca vi tanta descriminação com relação ao futebol argentino . que em minha humilde opinião se equipara ao futebol brasileiro .
    so com uma pequena diferença !!! do fato da argentina ser BI CAMPEÃ OLIMPICA , somos bi campeões do mundo 78/ 86
    temos o maior craque do mundo …DIEGO MARADONA
    COMO voces tem pele e o biro biro rsrsrsr
    fuiiiii

  12. Quando Maradona foi o melhor do mundo? Nunca!
    Pelé sempre foi melhor que Maradona. Maradona fazia gol de mão, Pelé fez mais de 1.200 gols na sua carreira. Quantas vezes o Maradona com a seleção Argentina ganhou do Brasil? 1 vez. Isso mesmo, uma única vez que o Maradona com a camisa da seleção Argentina ganhou do Brasil e foi por 1 a 0.
    KKKKKK’

  13. É muito bom zoar com os Argentinos!

  14. cara é muitoo massa eessseee site entrem mais e comentem porq é muito legal..demais…ahuahuahauhuahuahuhauhauahuahauha

Leave a Reply