Conmebol suspende árbitro uruguaio do Sul-americano sub-20 por choro da Argentina

Não conformado com a derrota para o Brasil na segunda rodada do hexagonal final, o técnico da seleção argentina, Sergio Batista, fez duras declarações contra a arbitragem, o que terminou na suspensão do árbitro uruguaio Líber Prudente pela Conmebol.

A revolta argentina começou com o seu gol lícito anulado aos 23 minutos de jogo. Cristian Gaitán marcou de cabeça, mas como a bola foi perto (apenas perto) de onde estava Meza (em cima da linha do gol), o segundo assistente, Wilson Berrío, marcou impedimento, equivocadamente, pois o camisa 4 não participou da jogada. Prudente anulou o gol, mas não era obrigado a fazê-lo, pois seu assistente também pode errar, como de fato errou. Como árbitro central, Prudente tinha a última palavra, e também viu a jogada. A responsabilidade pela falha do gol anulado, é do árbitro uruguaio.

No entanto, o técnico argentino exagerou a situação, disse um monte de besteiras, faltou com o respeito ao árbitro, falando publicamente, e causou a suspensão do uruguaio de uma competição internacional, de seleções, classificatória para uma Copa do Mundo, manchando permanentemente a imagem e a reputação de Líber Prudente.

Batista não só disse que o árbitro e os assistentes erraram, mas que o fizeram de propósito, que são más pessoas. O gol anulado, os cartões mostrados (5 amarelos e 1 vermelho) e o pênalti para o Brasil, segundo Batista, foram invenções de Líber Prudente, que “fez tudo para que a Argentina perdesse”. Mesmo os compatriotas que apoiam Batista reconhecem que “algumas” das reclamações do técnico não tem fundamento, como o pênalti para o Brasil, que foi bem assinalado.

Entretanto, dizem que a organização do torneio (a Conmebol) cometeu um erro ao escalar um árbitro uruguaio para dirigir essa partida da Argentina, pois na seguinte rodada a alvi-celeste enfrentava justamente o Uruguai. De fato, eles acusam Líber Prudente de querer ajudar o Uruguai, carregando os argentinos de cartões amarelos, e expulsando Franco Zuculini, peça importante da alvi-celeste, impedindo-o de disputar o seguinte jogo. A expulsão de Zuculini veio depois da briga que houve entre jogadores de ambas as seleções, no final do jogo, motivo pelo qual Patric também levou cartão vermelho.

A verdade é que Líber Prudente cometeu apenas um erro repeensível no jogo, que foi o gol mal anulado. Certo, foi um erro grave, que alterou rumo do jogo. No entanto, o resto da polêmica, que terminou na suspensão, é tudo produto do “chilique” de Sergio Batista, que vê sua seleção na última posição do hexagonal final, com apenas um ponto ganho (também perdeu para o Uruguai), quase fora do Mundial do Egito. Se de fato a Argentina, atual campeã do Mundo, não conseguir a classificação para o Mundial, Batista provavelmente será despedido. Daí toda a exageração do técnico, que está a ponto de se tornar o responsável por uma catástrofe para a seleção Argentina, além de ficar desempregado e com o currículo “manchado”.

O que me deu mais nojo nessa história a toda foi a Conmebol, que saiu CORRENDO atender o faniquito nervoso do técnico argentino, “resolvendo” o “problema” em tempo récorde. E depois não querem que os brasileiros impliquem com loser manos.

PS: é uma droga falar de futebol sem, de fato, falar de futebol.

Confira a tabela do Sul-americano sub-20 Venezuela 2009.


Technorati : , , , , , , , , , , , , ,

Leave a Reply