Brasil 0 x 0 Colômbia no Maracanã – a palhaçada continua

No mês passado foi um vexame contra a Bolívia no Engenhão, agora mais um fiasco da seleção brasileira na Eliminatórias Sul-americanas, desta vez no Maracanã. Um empate não é um mau resultado se for contra um bom time, o que não é o caso, pois a Colômbia vinha de TRÊS derrotas consecutivas, sendo duas delas em casa e a outra uma goleada de 4 x 0 que levou do Chile em condição de visitante.

A estratégia da Colômbia era simples e previsível: esperar, fechar os espaços e tentar surpreender o Brasil quando tivesse a bola. Ao contrário da partida contra a Venezuela, o Brasil não teve espaços pra jogar, não encontrou a defesa colombiana aberta em nenhum momento. Os colombianos fizeram exatamente o que tinham planejado e conseguiram extamente o resultado que procuravam.

E o Brasil? Qual era o plano do Brasil? Pareceu que nada foi planejado, estudado, meditado ou ponderado. Já nos primeiros minutos se viu os jogadores brasileiros enrolando no meio-campo, sem saber como entrar na defesa rival, sem a mais pálida idéia do que fazer dalí pra frente. Um vergonha. Ou o Dunga não planejou nada porque ele não entende nada de tática ou de como funciona um time de futebol, ou ele pensou que a Colômbia viria ao Maracanã desesperada por uma vitória, iria ao ataque em busca de gols e deixaria a defesa descoberta, como o ocorrido na Venezuela.

Quando o Brasil venceu a Venezuela, eu cheguei a pensar que o Dunga tinha entendido o jogo de futebol, resolvendo muitos problemas óbvios da seleção na partida disputada em San Cristóbal. Contra a Colômbia, os horrores voltaram a ser cometidos. Novamente o Brasil fez o jogo lento, facilitando a vida dos rivais, dando todo o tempo do mundo para a defesa colombiana se fechar. Outra vez apareceram os passes longos e forçados e a bola terminando nos pés dos colombianos.

O meio-campo brasileirojogou mal de novo, se perdeu no meio dos rivais e não cumpriu sua função, que é levar a bola até os atacantes. Então, mais uma vez apareceram os “passes” longos de Lúcio desda defesa, procurando Jô e Pato. Simplesmente RIDÍCULO! Uma e outra vez vimos o zagueiro tendo que fazer “passes” para os atacantes, lá do fundão, porque os meio-campistas brasileiros não sabem o que fazer quando o rival não facilita as coisas.

Mas eu aposto que o Dunga não percebeu nada disso, que ele não entende que não é a mesma coisa fazer o jogo lento do que jogadas em velocidade, duvido que ele tenha sequer notado que o meio-campo não cumpriu sua função e o porque disso, e provavelmente ele não deve ter achado nada de mais que os ataques da seleção dependessem dos “passes” de Lúcio.

Ele simplesmente acha que a torcida exagera, que é normal e que aconteceu a mesma coisa com Parreira, Zagallo e Felipão. Ah, e claro que ele sempre menciona que o Brasil é o segundo colocado da tabela, como se os números apagassem ou diminuíssem o vexame que a seleção dá em campo.

O Dunga deveria ter saído da seleção depois da Copa América, que o Brasil ganhou sem jogar bem. Mas pelo jeito vamos continuar assim, ganhando contra os rivais que facilitarem as coisas e dando vexame quando o adversário não tiver vontade de perder.

Confira a tabela das Eliminatórias Sul-americanas da Copa de 2010.


Technorati : , , , , , , , ,

Leave a Reply