Bolívia 4 x 2 Paraguai – Eliminatórias da Copa do Mundo

Na altura de La Paz, o teto do mundo, a seleção boliviana encontrou a primeira vitória nestas eliminatórias, nada menos que contra o líder da tabela Paraguai. O pouco público que foi ao estádio Hernando Siles foi bem recompensado por confiar na sua seleção, quem não foi perdeu a festa, e deve estar se lamentando.

A zebra montanhesa

Paraguai x Bolívia

Desde o princípio da partida os bolivianos foram com tudo pra cima do adversário. Com apenas um ponto ganho, no fundo da tabela, não podia ser diferente. Os paraguaios apenas caminhavam no campo, um tanto desatentos. A Bolívia teve maior posse de bola, marcou melhor, e teve várias chances claras de gol.

O primeiro gol dos bolivianos veio aos 23 da primeira parte. Rivero fez um grande passe frontal, Botero invadiu a área buscando esse passe chovido, dominou e tocou por cima do goleiro Bobadilla (substituto de Villar). Um golaço. A defesa paraguaia tentou deixar o atacante em impedimento, mas não conseguiu.

A Bolívia continuou pressionando, e ampliou o placar dois minutos após a abertura. García avançou pela direita e chutou forte de longe, cruzado. O zagueiro Morel tentou tirar, Bobadilla se jogou e chegou a tocar a bola, mas não foi suficiente para impedir o 2 x 0. Incrível; o Paraguai perdia um jogo que teoricamente deveria ganhar facilmente.

O jogo continuou, com uma bela atuação da Bolívia, com bom volume de jogo e marcação no meio campo. Ainda assim, Cabañas representava muito perigo para o gol boliviano. Dele partiram as poucas e tímidas chances que o Paraguai teve no primeiro tempo, que terminou 2 x 0.

No segundo tempo, a Bolívia continuou jogando igual, tentando frequentemente chutes de longa distância. O Paraguai melhorou com as entradas de Haedo Valdez e Santa Cruz. Durante toda a partida, os jogadores paraguaios pareciam exaustos. Contudo, conseguiram diminuir com um gol de Santa Cruz: após cobrança de escanteio ele apereceu sozinho para cabecear. Foi aos 21 minutos do segundo tempo.

De pouco adiantou, visto que dez minutos mais tarde, Marcelo Moreno marcou o 3 x 1 para Bolívia. Gutiérrez chutou de longe, Bobadilla deu robote e Botero mandou pro fundo da rede.

O quarto gol boliviano nasceu de uma falha do juiz, que marcou uma mão inexistente na ponta esquerda de área do Paraguai. A cobrança foi em dois toques: um pra escapar da barreira e o outro pra meter a bola na trave que ela cuidava.

Os últimos minutos foram do Paraguai. Após vários ataques, Valdez recebeu um passe de Morel dentro da área, matou no peito e chutou no ângulo. Não havia mais tempo: 4 x 2 final.

Jogar nas alturas não é pra qualquer um

Todo mundo atribui a má atuação do Paraguai aos efeitos da altura. Eu concordo em parte. Desde o primeiro minuto de jogo os paraguaios pareciam exaustos, apenas caminhavam no campo. Jogar a 3600 metros cansa, mas não a esse ponto! Atribuir essa derrota completamente à altura de La Paz é desculpa esfarrapada. É muito simplista.

O Chile jogou no mesmo estádio, no Domingo, na mesma altura. Qual foi o resultado? 2 x 0 pro Chile, e seus jogadores não aparentavam tanto cansaço.

Na minha opinião, os paraguaios foram displicentes no jogo de hoje. Entraram em campo como se já tivessem ganhado. Não se esforçaram no começo do jogo. Pra mim, decisiva foi a altura na tabela; o primeiro lugar e a vitória diante do (medíocre) Brasil subiu à cabeça dos paraguaios. Pagaram o preço. Quando quiseram jogar de verdade, já perdiam por dois gols de diferença. Terão aprendido essa lição de humildade?

Não devemos tirar mérito dos bolivianos, que melhoraram MUITO depois da derrota contra o Chile. Quando um time entra em campo com vontade de ganhar e o outro pensando que já ganhou, o resultado é esse.

Confira a tabela de posições das eliminatórias da Copa do Mundo.


Technorati : , , , , ,

Leave a Reply