Argentina 1 x 1 Equador – Eliminatórias da Copa do Mundo

A Argentina quase ficou em ridículo diante da sua torcida, que lotou o Estádio Monumental de Nuñes. O Equador saiu na frente (com um golaço), e o empate alviceleste somente chegou na última jogada da partida.

Resumo do jogo

A boa marcação equatoriana dificultou muito o avanço dos argentinos; apenas sobre o final do primeiro tempo chegaram as boas oportunidades para a seleção de Alfio Basile.

O Equador tentou ter a posse de bola, porém, não conseguiu levar perigo ao gol de Abbondanzieri. A marcação foi muito forte em cima de Joffre Guerrón, o jogador mais perigoso do Equador. Na minha opinião, forte demais; fizeram algumas faltas nele que o juiz boliviano René Ortube deixou passar.

O primeiro tempo terminou com uma pálida atuação argentina e uma defesa equatoriana firme.

O Equador voltou decidido a atacar na etapa complementar; teve boas chances em cotra-ataques, em alguns escanteios e faltas perto da área. Em um contra-ataque muito veloz, Tenorio invadiu a área pela direita e foi derrubado; o zagueiro argentino cruzou a perna na frente do Tenorio e, com braço esquerdo nas costas do equatoriano, o empurrou.

Isso o juiz não considerou falta; no entanto, se um equatoriano ganhasse no ombro-com-ombro do Messi o ele marcava falta. Inclusive uma perigosíssima na entrada da área do Equador (nessa, nem tocaram o Messi, ele se jogou). Foram dois pesos e duas medidas, principalmente perto do final da partida (pra não dizer JUIZ SAFADO, LADRÃO, COM MEDO DOS ARGENTINOS!!! FDP!!!).

Justiça foi feita aos 23 minutos do segundo tempo. Os equatorianos fizeram boa troca de passes diante da área argentina e Urrutia chutou forte: a bola bateu no travessão e entrou. Abbondanzieri nem viu passar. Até aí o Equador jogava melhor, se defendendo com a bola.

A melhor defesa é jogar futebol

Em vez de continuar jogando da maneira que o levou ao gol, o Equador se refugiou em seu campo, cedendo bola e campo para a Argentina. Erro gravíssimo, imperdoável, que a maioria dos times cometem hoje em dia. Muitos pensam que colocando o time na defensiva vão impedir o avanço do adversário; o resultado é o oposto. Cedendo a posse de bola e o terreno, o você está dando ao adversário as armas necessárias pra ele crescer no jogo. Creio que é por medo a levar um gol; no entanto, refugiar-se atrás não é a resposta, é suicídio.

Este Domingo (17) tivemos um bom exemplo. Com o Equador apenas se defendendo, quase todo dentro da sua área, os argentinos atacaram, atacaram, e atacaram, até que chegou o gol do empate, no terceiro minuto de acréscimo. O gol foi de Palacio, que entrou aos 44 da segunda etapa. Será que o Equador aprendeu? Duvido.

O eterno problema da arbitragem

O juiz devia ter dado uns cinco minutos de acréscimo, pois ambas as seleções fizeram as três substituições de que dispunham, e os equatorianos fizeram tempo sempre que foi possível. Entretanto, no terceiro minuto de acréscimo, após o gol argentino, quando o Equador deveria repôr do meio-campo, o juiz deu a partida por terminada. Me pareceu outra atitude incorreta, e estranha, como se ele estivesse esperando o gol argentino para finalizar o jogo.

Não creio que o Equador teria feito o 2 x 1, mas deviam ter sido cinco minutos de acréscimo, sem importar o placar. Aposto que se a Argentina não tivesse feito gol, a segunda etapa iria até o minuto 50. Tenho notado que os juízes receiam (ou tem medo) de que o seu nome seja relacionado a uma zebra, principalmente se tratando de seleções e competições internacionais. Fica mal no curriculum, sabe?

No seu próximo jogo, o Equador recebe a Colômbia, em quito. A Argentina visita o Mineirão, como você já deve saber.

Confira a tabela de posições das eliminatórias da Copa do Mundo.


Technorati : , , , ,

Leave a Reply