2 Comentários em “A surreal conversa do técnico Carrasco com os jogadores do River Plate uruguaio”

  1. A REGRA DEZOITO

    A equipe de Topógrafos do Exército estava na região de Salto do Lontra. “Cudoeste” do Paraná.
    Masculino porque Lontra é um rio, e como tal, muito macho.
    Hoje aquilo deve ser uma grande cidade, com assalto a bancos, seqüestros relâmpagos e o diabo a quatro. Mas era a década de sessenta. Militar mandava, não pedia.
    Olha a gloriosa 64 aí, gente!
    Na sede – Povoado – engastado em uma curva do rio, o campo de futebol. Arranca Toco Futebol Clube contra O Serviço Geográfico.
    A torcida local se dividia. Os homens amarravam o cabresto da montaria nos palanques e torciam pelos nativos, por quanto o mulheril torcia para os de verde, obviamente.
    Quarenta e quatro minutos do segundo tempo, os milicos impingiam uma estrondosa goleada de um a zero.
    Eis que de repente – não mais que de repente – o juiz “local” soprou o seu instrumento de trabalho e apontou para onde deveria ter a marca da cal. Peennalltii contra os visitantes.
    Bem, a bem da verdade, o sargento-beque-parado do Geográfico dera uma tremenda rasteira no centro-avante do Canela de Vidro Futebol Clube, digo, do Arranca Toco. Isso dentro da grande área.
    A milicada cercou o árbitro. Diziam que ( ^ ´ ) fora fora da área. O bandeira confirmou que não fora nem fora nem dentro, muito antes pelo contrário.
    Foi aí, exatamente aí, que o sargento Paim, capitão do time dos Topógrafos, se acercou do árbitro e disse, na lata, sem pestanejar:
    – Seo juiz, o senhor está certo! Foi pênalti sim. Claro. Claríssimo. Põe na marca da cal e manda bater contra a gente.
    Acontece que o Paim mandava. Mandava mais que bicheiro em Secretário de Segurança no Rio de Janeiro.
    Enquanto um soldado romano esculpido em ébano colocava a pelota na marca, o Paim organizava a barreira.
    -Peraí “coronel”! Barreira?!
    – Seo Juiz, não vá dizer que Vossa Senhoria desconhece a nova regra dezoito da FIFA.
    Pênalti aos oitenta e nove minutos, tem barreira.
    E não foi gol, porque o juiz não quis se passar por ignorante da nova regra da FIFA.

  2. Jejejeje, aqui em Minas em um programa tosquíssimo da Band, bem das antigas, rolava um comentarista que falava essa parada da bola de couro, a vaca come grama e tal…. bizarro!
    Eu, como você, também trocaria de time…
    Abraços!

Leave a Reply